Atleta vai buscar a vaga do sabre feminino nos Jogos de Tóquio e garante estar muito preparada por se manter em atividade com a irmã Renata

 

Rio de Janeiro (RJ), 20 de outubro de 2020.

Por: Fato&Ação Comunicação

Na casa da família Zettermann Trois de Avila, a esgrima é tema prioritário. E uma das principais atletas do sabre feminino do Brasil, Karina Trois ressalta a importância deles neste momento de pandemia. Se preparando para buscar uma vaga nos Jogos Olímpicos de Tóquio, ela garante que esse apoio é fundamental para superar os momentos mais difíceis.

Karina é filha do casal Régis Trois de Avila e Márcia Zettermann. Ele, ex-atleta olímpico e técnico de esgrima, que além de pai é o próprio treinador de Karina. A mãe, atua na torcida. De Karina e da outra filha mais nova, Renata, que também é uma talentosa esgrimista.

“Foi por causa dele que eu conheci a esgrima. Desde que eu estou na barriga da minha mãe eu vou para as competições”, brinca Karina, bem-humorada. “Acho que o ensinamento mais marcante, dentre os milhares que ele já me passou, foi sobre o próximo toque. E acho que isso é o que me fez não surtar nessa pandemia, por causa das incertezas, de não saber direito sobre as coisas, de não saber quando voltavam os treinos normais”, revela a atleta do Paulistano.

“No começo disso tudo, mudou muito a nossa rotina. Os treinos não eram presenciais, então não tinha a possibilidade de jogo e o preparo físico era com o que eu tinha em casa. Foi bem difícil manter o foco, porque treinar no clube dá uma motivada, existem os meus amigos, os técnicos. Em casa, só tem eu e a minha irmã treinando, o que por um lado era até uma vantagem, já que muita gente não tinha nem irmão para acompanhar”, explica, ressaltando a importância da companhia familiar nos treinos.

Planos para chegar em Tóquio

Por sinal, o grande sonho de Karina é a classificação inédita para os Jogos Olímpicos. Ela garante estar muito preparada para buscar a vaga em 2021. O Pré-Olímpico deve acontecer em abril, no Panamá.

“Eu nunca deixei de treinar, então por mais que esteja nessa incerteza, meu condicionamento físico está igual. Agora, com a volta aos treinos presenciais, está melhor ainda. Além disso tudo, quero ir pra Itália em janeiro, para treinar e disputar todas as competições que forem confirmadas no ano que vem. O que mais me atrapalha é a incerteza de tudo, junto com a ansiedade por voltar a competir”, diz Karina, que confessa ter mania de limpeza, triplicada com a chegada da pandemia.

A elétrica menina, que também concilia o tempo com faculdade e sempre teve muitas atividades desde pequena, enxerga o Pré-Olímpico com muito otimismo e promete surpreender para conquistar a vaga em Tóquio.

“Acredito que como eu não sou uma favorita para essa competição, as minhas adversárias não devem estar dando muita atenção para mim. O que é ótimo, porque eu tenho as mesmas chances que elas, mas não tenho a mesma pressão. Vou entrar para fazer o meu melhor e acredito que vai dar tudo certo. Em geral, eu tento ser muito positiva, pensar sempre no meu objetivo maior, que é a classificação para os Jogos Olímpicos. Isso é o que me faz continuar”, avisa a atleta.

 

FATO&AÇÃO COMUNICAÇÃO

Assessoria de Imprensa da Confederação Brasileira de Esgrima (CBE)

fatoeacaocomunicacao@gmail.com

Claudia Mendes – claudia@fatoeacao.com

Nelson Ayres – nelson@fatoeacao.com

CBE nas mídias sociais!

FACEBOOK: www.facebook.com/CBE.BrasilEsgrima

TWITTER: www.twitter.com/cbesgrima

INSTAGRAM: www.instagram.com/@cbesgrima

YOUTUBE: www.youtube.com/cbesgrima

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support