Carminha Oliveira, Jovane Guissone, Mônica Santos e Vanderson Chaves estão garantidos em Tóquio pelo ranking paralímpico da esgrima; Alex Sandro Souza, Fabiana Soares e Moacir Ribeiro aguardam definição de equipes

 

Em cima: Mônica Santos (esq.) e Vanderson Chaves (dir.). Embaixo: Jovane Guissone (esq.) e Carminha Oliveira (dir.). Fotos: CPB.

1° de abril de 2021.

Por: Fato&Ação Comunicação

O Brasil tem quatro atletas classificados na esgrima para os Jogos Paralímpicos de Tóquio. Com a mudança no calendário internacional de competições por conta da pandemia de Covid-19, o ranking paralímpico foi fechado. Desta forma, Carminha Oliveira, Jovane Guissone, Mônica Santos e Vanderson Chaves estão garantidos na Paralimpíada. A oficialização do Comitê Paralímpico Internacional (IPC) deve acontecer em junho.

A Copa do Mundo, que aconteceria no Brasil, em abril, e os Regionais Continentais, que eram previstos para maio, foram definitivamente cancelados por causa da pandemia. Os quatro atletas, portanto, fecham o período de classificação dentro da lista. Em razão das muitas variáveis para o preenchimento das vagas restantes de equipes nos Jogos, outros três brasileiros poderão garantir também a participação: Alex Sandro Souza, Fabiana Soares e Moacir Ribeiro.

Os quatro atletas classificados comemoram o passaporte carimbado para os Jogos Paralímpicos. “Esta conquista da vaga aconteceu por muita determinação. Fico feliz de ter superado todas as dificuldades no caminho e ter chegado ao meu objetivo”, diz Carminha Oliveira. “Tenho o sentimento de gratidão, de dever cumprido. Foram muitas renúncias, conquistas e um sonho sendo realizado”, explica, emocionada, Mônica Santos.

Vanderson Chaves, outro classificado, mostra satisfação em ter obtido a vaga diretamente: “É uma honra estar representado o Brasil novamente no maior evento paralímpico do mundo. Fico muito feliz por conseguir a vaga. Na minha primeira Paralimpíada, fui um dos atletas convidados após a Rússia ser banida. Ir para os Jogos de Tóquio com a minha própria vaga garantida é uma sensação de dever cumprido”.

Por fim, a principal esperança de pódio da esgrima em cadeira de rodas nos Jogos, Jovane Guissone. Medalhista em Londres-2012, ele não vê a hora de chegar o momento da disputa.

“Estou um pouco ansioso, devido a essa pandemia, que não passa. Treino todos os dias, tentando, cada vez mais, deixar a minha esgrima mais madura. Nesse ano, é diferente do Rio. Estou muito bem preparado, sem lesões. Só estou esperando os Jogos para fazer o meu melhor”, avisa o medalhista paralímpico.

 

FATO&AÇÃO COMUNICAÇÃO

Assessoria de Imprensa da Confederação Brasileira de Esgrima (CBE)

fatoeacaocomunicacao@gmail.com

Claudia Mendes – claudia@fatoeacao.com

Nelson Ayres – nelson@fatoeacao.com

CBE nas mídias sociais!

FACEBOOK: www.facebook.com/CBE.BrasilEsgrima

TWITTER: www.twitter.com/cbesgrima

INSTAGRAM: www.instagram.com/cbesgrima

YOUTUBE: www.youtube.com/cbesgrima

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support