Notícias

Mensagem de Ano Novo

By 28 de dezembro de 2018 No Comments

Prezados (as) Senhores(as),

 

É com enorme alegria e esperança renovada que nos dirigimos aos Dirigentes das Federações e das EPDs, atletas, técnicos, árbitros, colaboradores diversos, familiares e amigos da esgrima brasileira.

Para nós o ano de 2018 foi recheado de ações, inovações, conquistas e, ainda, projetos para o maior e melhor desenvolvimento do nosso esporte.

A existência das Entidades Nacionais de Administração do Desporto – as Confederações Esportivas – somente se justifica porque há toda uma comunidade envolvida que as tornaram uma realidade. E, desse evidente conceito, a atual gestão da CBE não se descuida. É, portanto, pela e para a comunidade da esgrima brasileira que trabalhamos com incansável dedicação, pois somos esgrimistas, amamos o nosso esporte e o que fazemos.

A nossa gestão, desde o seu início vem, passo a passo, realizando tudo aquilo que estava proposto em nossa plataforma. Mas, por certo, não somos os detentores da verdade, até porque há diversos rumos a serem escolhidos. Por isso, administramos com os olhos e ouvidos sempre democraticamente abertos para juntos com a nossa comunidade, escolhermos os melhores caminhos e tomarmos as melhores decisões. Não buscamos a unanimidade; contrário a isso, eventuais críticas ou posições divergentes são para nós uma oportunidade ímpar para as nossas reflexões e até mesmo para algumas importantes alterações de rumo. Enfim, acreditamos que, desta forma, o desenvolvimento do nosso esporte terá uma melhor qualidade e eficácia.

Estamos, dentro de nossas possibilidades, formando técnicos, árbitros e gestores para a esgrima, diga-se, um enorme gargalo que freou o nosso crescimento por muito tempo.

Para o próximo ano, novos profissionais serão formados e procuraremos apoiá-los para que possam se desenvolver profissionalmente e, assim, permanecerem em nosso meio. Essas ações, por si só, apontam para um horizonte promissor.

Algumas novas EPDs estão surgindo pelos méritos próprios de seus dirigentes e responsáveis técnicos. E estamos atentos a isso, estimulando-os, apoiando-os, ofertando algumas facilidades, inclusive financeiras, para que algumas de nossas regras não se transformem em obstáculo. Há, ainda, o potencial surgimento de novas Federações Estaduais; da mesma forma, procuraremos auxiliar os interessados nessa importantíssima missão. O Norte, o Nordeste e o Centro-Oeste brasileiro estão se mobilizando para que a esgrima possa se desenvolver nessas regiões e seja incorporada futuramente às nossas atividades. Da mesma forma, estamos atentos a tudo isso e ao lado desses abnegados e competentes profissionais que vêm transformando sonhos em realidade.

A quantidade de praticantes de esgrima está se ampliando desde as categorias infantis até os veteranos. Respondem por essa conquista as Federações e as EPDs ao lado de seus respectivos dirigentes, técnicos e os participativos familiares que não medem esforços para que seus filhos se mantenham vinculados ao nosso esporte. A todos, o nosso muito obrigado!

Estamos muito atentos aos Jogos Olímpicos de Tóquio – 2020 no que diz respeito ao potencial de classificação e resultados de nossos atletas e equipes de alto rendimento e os apoiamos meritoriamente no limite de nossas forças financeiras. Mas não perdemos de vista os Jogos Olímpicos de 2024 e, até mesmo, o de 2028. Nossos talentosos jovens esgrimistas que estão despontando em todas as armas e gêneros nos indicam um futuro muitíssimo animador e, da mesma forma, buscamos de todas as formas apoiá-los dentro de nosso planejamento estratégico.

A esgrima em cadeira de rodas finalmente foi incorporada à CBE, seguindo uma tendência mundial onde o Comitê Paralímpico Brasileiro e o Comitê Paralímpico Internacional são francamente favoráveis a essa união. Portanto, estamos no caminho certo e convencidos de que todos ganharemos com isso. Assim, seja muito bem-vinda a comunidade da esgrima em cadeira de rodas. Estejam certos de que tudo faremos para desenvolver e qualificar ainda mais a modalidade paralímpica.

Finalmente, a Assembleia Geral da CBE reformou o seu Estatuto, tornando-o muito mais moderno e voltado para uma governança participativa. Essa reforma estatutária foi fruto de um enorme esforço coletivo, onde todos os envolvidos foram maduros e democráticos o suficiente para debaterem e flexibilizarem ideias, conceitos, princípios e ideologias até chegarem a um texto elogiável. Mas isso não é suficiente; precisamos colocar em prática tudo aquilo que, juntos, consolidamos. Para tanto, serão necessários o interesse e a participação de nossa comunidade como um todo.

Precisamos, por fim, ir em busca de uma maior harmonia e flexibilidade entre todos, a fim de estabelecermos permanentes debates construtivos em prol do nosso futuro. Portanto, conclamamos a toda a comunidade da esgrima brasileira, convencional e em cadeira de rodas que, com a máxima liberdade de expressão, tragam para o centro dos debates todo e qualquer tema que possa propiciar a evolução que tanto sonhamos. Somos todos, como dito antes, esgrimistas e, por isso, devemos esgrimir numa mesma direção, corrigindo rumos e avançando sempre!

 

            Um Feliz e harmonioso Ano Novo para todos nós!

Arno Schneider                                                                         Ricardo Machado